As Origens

Lasse Nielsen e a sua batalha contra os termoacumuladores redondos

Em 1981 Lasse Nielsen vivia em Genebra (Suíça), onde estudava engenharia civil. Como projeto de fim de curso desenhou um sistema de aquecimento central para um edifício residencial que lhe permitiu obter a classificação máxima do curso. No entanto, uns anos mais tarde foi contratado para projetar um sistema de aquecimento e água quente doméstica para um edifício antigo no centro de Berna que ia ser remodelado e transformado em apartamentos. Lembrou-se então do seu projeto que, no entanto, não podia concretizar, porque o cliente exigia um sistema individual de água quente doméstica.

Para Lasse Nielsen a solução mais simples e barata de água quente doméstica consistia em instalar termoacumuladores elétricos em cada apartamento. O problema que lhe surgiu então iria acompanhá-lo nos anos seguintes como projetista de sistemas para os melhores gabinetes de arquitetura da Europa central. Os termoacumuladores elétricos eram aparelhos volumosos, cilindros enormes muito pouco estéticos que os clientes desejavam esconder. Os arquitetos e desenhadores, bem como os residentes das habitações urbanas procuravam habitualmente os locais mais inconvenientes para alojar os termoacumuladores elétricos: um teto falso, um armário embutido ou o vão de uma escada – a maioria das vezes violando as regras mais básicas de manutenção recomendadas por qualquer fabricante – sem espaço para poder manipular ou reparar o aparelho e sem se poder verificar o gotejamento normal da válvula de segurança.

Lasse Nielsen desenhou então um termoacumulador elétrico plano com dois depósitos cilíndricos. Pareceu-lhe que a solução só podia oferecer vantagens:

  • Melhorava consideravelmente o tempo de aquecimento, sendo os depósitos mais pequenos.
  • O termoacumulador elétrico era mais atraente e deixava de ser um estorvo.
  • Solucionavam-se muitos problemas devidos à pressão, conseguindo que depósitos com metade do tamanho tivessem de suportar menos pressão por centímetro quadrado.

Esta ideia não era totalmente nova. Fabricantes e caldeireiros de vários pontos do mundo já a haviam aplicado, sem obter, no entanto, o apoio de um grande fabricante. Assim nasceu a iniciativa de uma pequena marca, WESEN, que começou a produzir aparelhos que, inicialmente, foram concebidos para as necessidades de cada edifício de apartamentos e que, finalmente, se lançou no fabrico industrializado de várias séries dos mais atraentes e funcionais termoacumuladores elétricos do mercado.